Portal de Eventos do IFRS, SICIT (2017)

Tamanho da fonte: 
Efeito do pó-de-rocha na disponibilidade do cobre em um Cambissolo com histórico de cultivo de videira
Andreia da Silva Cezimbra, Andressa Fabiana Taffarel, Carlos Alberto Caio Ferri, Taciane Sandri Anhaia, Diovane Freire Moterle

Última alteração: 30-10-2017

Resumo


As frequentes adições da mistura de sulfato de cobre e óxido de cálcio (calda bordalesa) ocasionam o acúmulo de cobre no solo, o qual pode influenciar no crescimento vegetativo da videira. Por isso a necessidade do uso de estratégias que minimizem a biodisponibilidade de cobre nos solos. Dentre essas, surge a possibilidade de acrescentar remineralizadores de solo como o pó-de-rocha. A hipótese é que este material pode adsorver o cobre com alta afinidade e reduzir seus efeitos sobre as videiras. Visto que a adsorção específica do cobre ocorre principalmente nas hidroxilas de coordenação dupla e tripla que apresentam uma ligação forte com os metais de superfície dos coloides. Possibilitando a perda do hidrogênio do grupo funcional e facilitando a adsorção específica deste elemento. Sendo assim, a adição de pó de rocha, contendo argilominerais, tais como zeolitas, pode adsorver especificamente o cobre e mitigar as altas concentrações no solo. A presença de argilominerais neste material possibilita um novo uso, além de fonte de nutrientes. O trabalho será conduzido na casa de vegetação, localizado no Campus Bento – IFRS. O solo utilizado no experimento foi um Cambissolo coletado em Pinto Bandeira vinhedo com cultivar Isabel na propriedade do Sr. Coguetto cuja concentração de cobre disponível na camada até 40 cm é de 1500 mg kg-1 de cobre. Foram coletados aproximadamente 300 kg de solo, na camada de 0 à 20 cm de profundidade, seco ao ar livre e passado em peneira com malha de 2 mm. Foi aplicado no solo pó de rocha, cuja granulometria utilizada no trabalho é de partículas inferior a 0,3 mm. Amostras de 4000 kg de solo foram incubadas em sacos plásticos em casa de vegetação durante um período de 120 dias, mantidas a 70% a 90 % da capacidade de campo, por meio de pesagens semanais. Ao solo incubado, foi adicionado as doses equivalentes de 0, 2, 4, 8 e 16 ton ha-1 de remineralizar de solo com 4 repetições. As amostras tiveram o pH ajustado em 6,0 utilizando carbonato de cálcio + carbonato de magnésio (2:1) PA para correção. Após a incubação foram feitas as análises de pH (H2O), Ca, Mg, K, P, Cu, e Zn. As análises iniciais após coleta do solo foram realizadas no Laboratório de Solos do IFRS – Campus Bento Gonçalves. A determinação do teor solúvel de Cu foi através do extrator ETPA e por HCl 0,05 mol L-1. Preliminarmente, foram obtidos os dados das análises químicas de solo e permitem observar que os teores de macro e micronutrientes existentes são maiores com a adição do pó-de-rocha. A amostragem comparativa de teor de Cobre antes da aplicação de pó de rocha foi de Cu,1291.55 mg /kg-1 e a de Cu total 468.38 mg/kg-1 depois da aplicação.


Palavras-chave


Rochagem; Disponibilidade de cobre; Cultivar isabel; Cambissolo

Texto completo: PDF