Portal de Eventos do IFRS, SICIT (2017)

Tamanho da fonte: 
Quando Deuses egípcios entram na brincadeira: o uso de jogos nas aulas de história do ensino médio
Iuri Piotrowski Da Rosa, Emilis Luize Schneider, Letícia Schneider Ferreira

Última alteração: 30-10-2017

Resumo


A presente pesquisa tem como objetivo verificar a eficácia do uso de jogos e elementos lúdicos aplicados ao ensino de história para o ensino médio ao invés de aulas expositivas. Neste intuito, a equipe da pesquisa está desenvolvendo jogos de tabuleiro, cartas e "imagem e ação" com a temática Egito Antigo. Após a confecção dos materiais, será feita a aplicação dos jogos com uma turma de alunos do 2º ano ensino médio do IFRS e será verificado o aprendizado sobre os conteúdos por meio de um questionário e, para fins de comparação, será realizada uma aula expositiva sobre o mesmo assunto para outra turma também do 2º ano, sendo seus desempenhos comparados. A turma para a qual serão aplicados os jogos terão acesso inicialmente a textos informativos referentes ao conteúdo selecionado para os jogos, que estarão à disposição para a consulta dos alunos. Todos os jogos estão sendo desenvolvidos pelos pesquisadores, os quais procuram também observar os aspectos iconográficos, utilizando imagens do Antigo Egito para ilustrar os jogos. O jogo de tabuleiro contará com um caminho de 35 casas sendo 16 reservadas para perguntas, que serão feitas ao jogador assim que o mesmo parar em cima das referidas casas, se o jogador acertar a pergunta, pode avançar o número de casas indicado na carta da pergunta que foi respondida, se errar a pergunta terá e retroceder a metade do número de casas indicadas, para desta forma o jogador poder passar novamente pela pergunta que errou e poder ter a chance de respondê-la novamente, a fim de que o conhecimento sobre o conteúdo possa ser consolidado. O jogador que chegar no final do caminho do tabuleiro antes vence. O jogo de cartas é baseado no jogo Super Trunfo, no qual foram representados 32 deuses egípcios e foram atribuídos poderes a cada deus, podendo o valor de importância de cada poder variar entre 10 e 100, sendo 10 o mais fraco e 100 o mais forte. Além dos poderes de cada deus, foi apresentada na carta uma breve explicação sobre a história de cada um dos deuses na carta, para que além da diversão haja um aprendizado sobre a mitologia egípcia. O jogo "imagem e ação" consiste em um jogador receber uma palavra relacionada ao Egito antigo e fazer imitações e mímicas para que os seus colegas de equipe consigam adivinhar a sua palavra, a equipe que tiver mais acertos ao final do jogo ganha. A pesquisa ainda está em fase de preparação, desenvolvimento e embasamento teórico devido a situações relativas a calendário acadêmico; contudo é possível inferir que o uso de jogos possa se mostrar uma alternativa interessante para a construção do conhecimento histórico.


Palavras-chave


Jogos; Ensino de história; Egito antigo; Ensino médio

Texto completo: PDF