Portal de Eventos do IFRS, MTC - Mostra Técnico-Científica 2019 IFRS - Campus Bento Gonçalves

Tamanho da fonte: 
Laboratório de Fitopatologia: de uma coleção de microrganismos a projetos aplicados na agricultura
Oriana Ribeiro Silva, Anna Christina Romano, Ana Paula Tansini, Luigi Cagliari Ferrari, André Luiz Montes, Marcus André Kurtz Almança

Última alteração: 25-02-2020

Resumo


O Laboratório de Fitopatologia do IFRS campus Bento Gonçalves tem como sua principal característica o estudo de patógenos causadores de Doenças de Tronco nas Videiras (DTV’s) e a caracterização fenotípica de fungos endofíticos isolados desta cultura. As DTV’s são uma das principais causas de perdas econômicas na viticultura mundial, sendo cada vez mais necessário pesquisar novas alternativas de controle, como o biológico. Os endofíticos são microrganismos mutualísticos, fungos e bactérias, isolados de tecidos sadios e podem viver uma parte ou todo o seu ciclo de vida no hospedeiro. O objetivo principal do laboratório é promover o contato dos alunos com o universo da pesquisa científica e a produção de conhecimentos, que poderão ser aplicados na resolução de problemas fitossanitários e de produtividade. As pesquisas são desenvolvidas a partir de um questionamento inicial e uma possível solução. Em relação à manutenção da Micoteca, são efetuadas repicagens regulares, junto com a elaboração do meio de cultura. Este serve como alimento para o fungo que irá se desenvolver na placa de Petri. Os microrganismo são conservados através do Método Castellani e posteriormente armazenados na Micoteca.  O projeto de seleção de porta-enxertos resistentes a fungos causadores de DTV’s tem sido desenvolvido nos últimos dois anos, com resultados promissores. Foram analisados até o momento 36 genótipos comerciais e experimentais, oriundos do banco de Germoplasma da Embrapa Uva e Vinho. As plantas são inoculadas com os patógenos e após três meses é avaliado a resistência com base na apresentação de sintomas característicos de DTV’s, e com a porcentagem de isolamentos dos patógenos, seguindo os postulados de Koch. Quanto ao projeto de caracterização de fungos endofíticos, estes foram isolados, cultivados em meio de cultura, caracterizados e, posteriormente, serão testados em relação à liberação de enzimas. No futuro, espera-se encontrar endofíticos com potencial de controle biológico frente aos patógenos. Em relação à micoteca, o Laboratório de Fitopatologia tem uma coleção de aproximadamente 1400 isolados de fungos causadores de DTV`s e 34 isolados de fungos endofíticos. O projeto de seleção de porta-enxertos obteve resultados, como a susceptibilidades do porta-enxerto Paulsen 1103 e a tolerância do genótipo IAC-572, ambos comerciais e amplamente usados. A caracterização de fungos endofíticos está em andamento, sendo previstos os primeiros resultados para o final do ano. Pode-se afirmar a importância do laboratório no contexto acadêmico (integração ensino-pesquisa), pois sua finalidade é a construção do conhecimento científico pelos discentes. Esta proposta vem sendo cumprida, com resultados científicos e educacionais que corroboram com a proposta da instituição, que é um ensino de qualidade, aplicado e construtivo.


Texto completo: PDF