Portal de Eventos do IFRS, MTC - Mostra Técnico-Científica 2019 IFRS - Campus Bento Gonçalves

Tamanho da fonte: 
Estudo de um método de produção de um lápis a partir da grimpa
Kauane Centenaro, Luisa Briansini, Luisa Vallejo, Marina Paim Gonçalves, Marcia Telh

Última alteração: 11-02-2020

Resumo


Em uma época onde o cuidado com o meio ambiente cresce diariamente, ainda nos deparamos com o desmatamento. O desmatamento consiste no processo contínuo de remoção da vegetação superficial de uma determinada área,sendo, por vezes, chamado de desflorestamento. A retirada aleatória e esporádica de uma árvore no meio de uma vasta floresta não pode ser considerada desmatamento, pois, nesse caso, a floresta continua existindo e mantém-se em equilíbrio. O presente projeto visa minimizar o impacto ambiental, diminuindo o número de árvores extraídas para a produção de materiais escolares, como por exemplo, o lápis. Os dados obtidos no decorrer desta pesquisa sobre a araucária, indicam o risco de extinção desta espécie. Isso acontece pelo fato da árvore demorar muito para se desenvolver e sua intensa exploração madeireira desrespeitando a legislação. Em um viveiro, localizado na cidade mineira de Prata, a Faber-Castell produz as mudas de Pinus caribea, árvore usada para a fabricação do lápis. São necessários 25 anos desde o plantio dessa muda até o momento certo para o corte e manufatura da madeira. Por ser a maior fabricante de lápis do mundo, é necessário contar com grandes quantidades de matéria- prima. Adquirindo a ideia do nosso projeto, a produção de lápis ficaria mais sustentável e menos árvores precisariam ser derrubadas, pois a grimpa é algo que cai naturalmente, sem precisar do corte. No Sul do Brasil, a grimpa é a designação do ramo seco da araucária. Apesar de ser pequeno, pode causar considerável dano, principalmente para bovinos. Um dos benefícios dos bovinos é sua utilização como fonte de alimento, composto basicamente de proteína. Um dos problemas causados pela grimpa dispersa nas pastagens ocorre durante a alimentação do gado, pois neste momento, podemos inalar os espinhos presentes na grimpa, causando problemas respiratórios que podem levar a morte. O desmatamento no Brasil, principalmente no Rio Grande do Sul, é outro problema decorrente do uso das árvores como matéria-prima para materiais escolares. Estudos apontam que entre 2014 e 2015 foram desmatados mais de 160 hectares de terra causando complicações, como por exemplo, desequilíbrio do ecossistema. A partir destas informações, percebe-se a relevância deste trabalho, pois com a utilização da grimpa, pode-se reduzir o desmatamento, evitar a morte de bovinos, valorizar e alertar a população em geral quanto à extinção da planta. Como solução, a proposta deste trabalho é a criação de material escolar, mais especificamente lápis a partir da grimpa, visando resolver os problemas acima citados. Testar a união de grimpa (recolhida nos campos e fragmentada) com diferentes tipos de colas, das sintéticas às naturais para desenvolver o corpo de uma lápis escolar. Unido ao grafite, o lápis de aparência rústica mostra-se eficiente. Testes de validade do material ainda estão em andamento, mas mostra que a madeira pode ser substituída por outros materiais no processo.

Texto completo: PDF