Portal de Eventos do IFRS, MTC - Mostra Técnico-Científica 2019 IFRS - Campus Bento Gonçalves

Tamanho da fonte: 
A influência da Lua em eventos sísmicos na cordilheira dos Andes
Beatriz Gelatti, Siclério Ahlert

Última alteração: 04-02-2020

Resumo


Muitos dos fenômenos lunares já são compreendidos pela moderna Astronomia, como o ciclo de fases da Lua, a explicação geométrica para os diferentes eclipses solares e lunares, e a influência gravitacional da Lua sobre os corpos hídricos, como mares e grandes lagos. Tomando isso como base,o presente projeto é uma pesquisa sobre a reação da crosta continental, visto que, é simultânea e igualmente submetida há mesma força gravitacional lunar que os corpos hídricos,e está flutuando sobre o manto superior terrestre que apresenta um magma de características físicas diversas, que variam do líquido ao pastoso, e ainda possui grande presença de gases. Portanto, a hipótese de que a Lua influencia em eventos sísmicos é semelhante ha teoria da influência da Lua na maré continental.O objetivo dessa pesquisa é relacionar os eventos sísmicos da cordilheira dos Andes as fases lunares e elaborar uma representação gráfica para ilustrar os dados coletados. Como não existem muitos estudos Geofísicos sobre a relação entre as forças gravitacionais da Terra e da Lua com o comportamento da litosfera terrestre, para a realização desses objetivoscompara-se a data, horário e a fase lunar de ocorrência dos terremotos acima de 7,5° de magnitude na Escala Richter, ocorridos na Cordilheira dos Andes do ano de1980até 2019, comparação que está sendo suportada por análises bibliográficas para embasar conceitos e processos que ajudem a validar os dados que estão sendo desenvolvidos. Foram usadas as fontes de dados da IRISe o aplicativo LunaSolCalpara coletar os dados dos terremotos e os dados astronômicos, respectivamente. No período estudado, foram registrados vinte terremotos acima de 7,5° na Escala Richter, sendo sete deles acima de 8° Richter. E dentre esses sete, apenas um, o terremoto de 2010, não ocorreu nos primeiros quatro dias após a Lua Nova.Esse terremoto, registrado em 27 de fevereiro de 2010 naregião costeira do centro do Chile, foi o terremoto mais intenso registrado no período, pois alcançou 8,8° de magnitude. Porém, nessa data a Lua estava com idade de 13 dias e visibilidade de 96%, portanto estava muito próxima da Lua Cheia. Com isso, a representação gráfica que está sendo desenvolvida mostra que a ocorrência de grandes terremotos na região Andina tem relação com as fases da Lua, pois evidenciam a ação gravitacional da Lua sobre o comportamento da litosfera e especificadamente sobre o deslocamento das placas tectônicas de Nazca e da América do Sul.


Texto completo: PDF