Portal de Eventos do IFRS, Mostra Técnico-Científica 2018 - Campus Bento Gonçalves

Tamanho da fonte: 
Materiais acessíveis para o ensino de física no contexto da deficiência visual
Thamara Aquino dos Santos

Última alteração: 04-02-2019

Resumo


Este trabalho tem como principal objetivo apresentar materiais didáticos acessíveis de baixo custo para o ensino de Física destinado aos estudantes com deficiência, principalmente a visual, do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul - Campus Bento Gonçalves. O uso desses materiais serão utilizados nas aulas de Física e auxiliarão no desenvolvimento das atividades curriculares, pois para que o aluno com deficiência visual aprenda, faz-se necessário as adaptações dos conteúdos e das atividades propostas, bem como de todo o material por ele utilizado. Pessoas com deficiência estão tendo novas possibilidades para sua inclusão na sociedade devido aos avanços tecnológicos, as reformulações de leis e até mesmo a mudança de paradigmas relacionados com a forma de compreender e aceitar o diferente na sociedade. Por isso é de relevante importância que toda a comunidade acadêmica esteja envolvida no recebimento e no acolhimento desses alunos e que seja desenvolvido um sistema integrado onde todos possam auxiliar na demanda que esses alunos possam trazer. Podemos dizer que para o atendimento desse sujeito faz-se necessário muitas mudanças, tendo em vista que ainda é um desafio bastante controverso para os docentes que não estão aptos o suficiente para lidar com esses alunos. Por isso a proposta desse trabalho é o de apresentar materiais que serão elaborados com produtos recicláveis, de fácil aquisição e que atendam alguns saberes da Física como: mecânica, termodinâmica, hidrostática, ondulatória, eletricidade, óptica, eletromagnetismo, e física moderna. A produção desses artefatos envolve, primeiramente, o estudo de como o aluno se comporta, quais são suas necessidades específicas e de como poderemos auxiliá-lo nas questões do aprendizado para que, somente depois, comecemos a elaborar os materiais especializados, propriamente ditos, para o atendimento desses sujeitos. Com isso os discentes de Física envolvidos nesse processo aumentarão seus conhecimentos, pois, saberão lidar com esses sujeitos, enfrentarão os desafios da educação, e aprenderão a lidar com situações adversas como a de se adaptar às escolas que não dispõem de infraestrutura adequada, recursos humanos capacitados e ainda estarão aplicando seus conhecimentos em Física para tornar o aprendizado mais concreto. Produzir materiais didáticos acessíveis para pessoas com deficiência visual requer habilidades e conhecimentos específicos como: conhecer quais as possíveis alternativas a serem utilizadas na confecção dos produtos, diferenciação de texturas, aplicação de cores contrastantes, o uso do braille, e por fim verificar se o resultado esperado condiz com a proposta inicial. Soler (1999) afirma que é importante adaptar os materiais táteis-visuais em alto-relevo e com contrastes de modo a facilitar a utilização do tato e da visão residual, no caso de estudantes com baixa visão. Portanto, nossa proposta é que seja possível atender mais essa gama de pessoas que gostariam de ingressar no Campus para adquirir os conhecimentos específicos em Física e que esses sejam beneficiados da mesma forma que os demais alunos cursantes.

Texto completo: PDF