Portal de Eventos do IFRS, Mostra Técnico-Científica 2018 - Campus Bento Gonçalves

Tamanho da fonte: 
LGBTfobia em instituições de ensino da cidade de Bento Gonçalves
Elen Justine Schommer

Última alteração: 04-02-2019

Resumo


Este projeto apresenta os resultados de uma pesquisa que teve como objetivo investigar asopiniões de estudantes de diferentes escolas de Ensino Médio da rede pública e particularde Bento Gonçalves acerca da LGBTfobia. Além disso, o presente trabalho buscou verificara existência da LGBTfobia nas escolas e estabelecer uma posição, ainda que generalizada,dos alunos acerca do assunto. Como metodologia, inicialmente foi realizada pesquisabibliográfica, para construir um aporte teórico que subsidiou a formulação de questionário.Em seguida, partiu-se para aplicação de questionários direcionados a alunos de ensinomédio de diversas instituições de ensino. Formada a partir do prefixo ‘pre’ (antes) e do latim‘conceptus’ (resumo), a palavra preconceito significa - segundo o dicionário Michaelis -“Opinião ou sentimento desfavorável, concebido antecipadamente ou independente deexperiência ou razão” e é algo recorrente em vários âmbitos da sociedade em que vivemos.Diretamente relacionado ao preconceito, o termo “fobia” representa nesse âmbito o medo, aaversão, em relação a uma parcela da sociedade que não se encaixa nos padrõespropagados dentro de uma norma heterossexual. Quanto ao que se refere ao movimentoLGBT+, há a LGBTfobia (termo que visa unificar as palavras homofobia, lesbofobia, bifobia etransfobia). Assim, podemos conceituar LGBTfobia como o movimento de preconceito, ounão-aceitação aos indivíduos LGBT. Dados pesquisados apontam altos índices desseproblema em diferentes países. Ao nos aprofundarmos sobre o assunto, descobrimos queações LGBTfóbicas desqualificam o indivíduo, punindo seus comportamentos e negandoseus desejos e subjetividade. As vítimas desse preconceito correm o risco de atribuirsentidos negativos a si mesmas, dificuldades nos processos de construção, aceitação eexpressão da própria identidade. Esse processo repercute em sua saúde física e psíquica,além da acentuação de um movimento de exclusão social. A abordagem de um tema quediretamente se relaciona com os estudantes, seu processo de construção de identidade,bem como das inter-relações entre os sujeitos nas instituições de ensino, mostra-serelevante no âmbito educacional e social de Bento Gonçalves, pois amplia os estudos ediscussões acerca de uma questão que precisa ser mais compreendida e divulgada, a fimde se buscar possíveis soluções para o panorama atual de violência e preconceito. Com aanálise dos dados foi possível perceber que, nas escolas em que o questionário foi aplicado- três públicas e duas privadas, que solicitaram sigilo -, a LGBTfobia não se faz presente emlargas proporções tanto quanto o imaginado ao realizar o projeto de pesquisa. Observa-seisso nos resultados das questões que se referem a analisar contextos de LGBTfobia, ondesituações preconceituosas foram tratadas como tal. Aproximadamente 92% dosentrevistados julgaram como muito ou extremamente preconceituoso agressões físicas oupsicológicas contra um indivíduo LGBT+. Apesar dos empecilhos e do fato de que algumasinstituições de ensino se recusarem a auxiliar com a realização da pesquisa, podemosconcluir que mesmo que a LGBTfobia não exista em proporções exorbitantes ela ainda deveser combatida e tratada com seriedade, contando com a cooperação de alunos eprofessores, de modo a poder tornar-se inexistente nos diversos espaços sociais.

Texto completo: PDF