Portal de Eventos do IFRS, Mostra Técnico-Científica 2018 - Campus Bento Gonçalves

Tamanho da fonte: 
IFRS-BG Si Vê: promovendo a interação do Campus Bento Gonçalves com a comunidade externa
Émerson Tunes Pereira

Última alteração: 01-02-2019

Resumo


A convergência das mídias tradicionais na internet proporcionou um “novo” meio deveiculação de informações, ideias, questionamentos e valores, os quais são culturalmentecriados e transformados. Neste contexto, o Projeto de Extensão IFRS-BG Si Vê surgiu em2016 com o objetivo principal de fomentar, através da produção de vídeos e da publicaçãonas redes sociais virtuais, o diálogo entre a comunidade acadêmica do Campus BentoGonçalves do IFRS e a comunidade externa, compartilhando informações da Instituiçãosobre atividades de ensino, pesquisa, extensão e gestão. Para além de promover aprodução e difusão de informações, o Projeto tem também como objetivo propiciarcondições para que os alunos desenvolvam competências relacionadas à comunicaçãomidiática, informacional e interpessoal. Dessa forma, contribui na formação dos estudantespara enfrentar os desafios postos pela sociedade da comunicação e da informação. OProjeto justifica-se pelo dever do IFRS de “garantir visibilidade de suas ações, tanto para opúblico externo quanto para a comunidade acadêmica, por meio de comunicação eficiente,com o uso de sites adequados, de redes sociais e das diversas plataformas comunicativasexistentes”, como preconiza o Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) 2014-2018 doInstituto. A equipe executora do Projeto usa como referência técnica/metodológica o guiadenominado “Oficina TV Escola de produção de vídeos” e realiza as seguintes etapas noprocesso de elaboração dos “produtos”: (a) argumento e roteiro, após definir com a entidadeparceira a pauta do vídeo que será produzido, estabelecendo o que gravar, com qualfinalidade, para que público e como gravar; (b) pré-produção, com o agendamento das datase horas de gravação, verificação de todos os equipamentos que serão utilizados, ensaio dosapresentadores e preparação do cenário; (c) gravação, momento em que são captadas asimagens; (d) edição, quando os vídeos gravados são “baixados”, as gravações assistidas(visionagem), o material “bruto” é descrito (decupagem) e o que for selecionado é utilizadona edição final; (e) publicação, que consiste no “envio” para as redes sociais virtuais. Comoresultados, constata-se que em 2016 foram produzidos 10 vídeos e no ano seguinte 37, osquais foram publicados no Facebook. Conforme informações disponibilizadas por essa redesocial, no primeiro ano eles alcançaram 66.107 “linhas do tempo” dos usuários e foramvisualizados 17.945. Em 2017 o alcance chegou a 224.560 pessoas e aconteceram 72.509visualizações. É importante, ainda, destacar que a comunicação por esse meio não éunidirecional. A interatividade é uma das características intrínsecas das “redes sociaisvirtuais”. Consequentemente, o público não é considerado neste Projeto como meroreceptor das mensagens. Para além de estimular a participação através de comentários,“curtidas” e compartilhamentos de conteúdos, a equipe busca o desenvolvimento de pautastambém a partir de consultas ao público, priorizando, quando é possível, trabalhar comtemáticas que permitam a interação dialógica com a comunidade externa.

Texto completo: PDF