Portal de Eventos do IFRS, Mostra Técnico-Científica 2018 - Campus Bento Gonçalves

Tamanho da fonte: 
Informática complementar para pessoas com deficiência visual: um projeto de extensão desenvolvido pelo NAPNE
Daniel Fernandes da Silva

Última alteração: 01-02-2019

Resumo


Para grande parte da comunidade utilizar aparelhos eletrônicos como celulares,computadores, entre outros equipamentos de informática, é algo extremamente simples epresente no nosso cotidiano, tal fato torna invisível a condição de que para algumas pessoasé um campo totalmente inexplorado. No presente relato aborda-se a falta de visão, já que amesma faz com que o uso da informática seja realizado com o auxílio de TecnologiasAssistivas (leitores e ampliadores de tela) que no caso do computador, ao invés do mouse,utilizam o teclado como base, ou que encontram-se em dispositivos móveis que possuemtelas touch. À partir de tal pensamento criou-se a possibilidade de um curso para acomunidade cega, curso esse que propiciou certa familiaridade com os sistemas android ,iOS ( iPhone operating system ) e plataforma Windows (computador) todos estes sendomanejados com leitor de tela, já que o público que faz uso destas tecnologias necessitacomplementar seus conhecimentos com aulas específicas que expandem seus conteúdos elhes propiciem condições do uso das mesmas. Levando em conta que os cursosconvencionais e materiais didáticos na área da informática nem sempre estão adaptados epreparados para abordar esses assuntos, pensou-se em um curso que consiste em oferecerpara uma pequena parcela da comunidade de pessoas com deficiência visual uma carga deinformações, que irão complementar os seu estudos de informática, proporcionando assim,mais autonomia e independência. O curso começou com um reconhecimento que nospossibilitou e soubéssemos até que ponto os alunos do curso de “Informática Complementarpara Pessoas com Deficiência Visual” conseguiam lidar com tais sistemas, após estereconhecimento, montou-se uma proposta qual foi pensada de acordo com o que os alunosestavam interessados, a mesma consistiu em auxiliá-los na utilização de redes sociais ecomandos básicos para o dia a dia como ligações, mensagens, entre outros, tudo isto sendofeito através de leitores de tela, tanto nativos do sistema como o talkback e handtalk paracelulares, também como leitores de tela gratuitos, como o NVDA no windows . O presentecurso está sendo realizado por um um projeto de extensão vinculado ao NAPNE (Núcleo deAssistência a Pessoas com Necessidades Específicas), é uma prova de que tecnologiasassistivas tem possibilitado cada vez mais a independência de pessoas com necessidadesespecíficas, tornando a vida delas mais prática e cômoda bem como realmente inclusiva,durante o andamento do curso pretendemos possibilitar que ao menos uma parcela dacomunidade cega tenha autonomia e confiança em suas capacidades, não apenas para aárea de lazer e interação social, mas também nas áreas de educação, aprendizagem etrabalho. Como resultados parciais obtivemos grande avanço com os alunos sendo que osmesmos passaram a estar significativamente mais familiarizados com os aparelhosutilizados, seus sistemas operacionais e também com aplicativos e redes sociais que eles sepropuseram a aprender. Tal constatação tem sido de grande incentivo para novas propostase ideias para que cada vez mais possamos auxiliar tais alunos a serem de certa formaindependentes quando se trata de tecnologias e suas funcionalidades.

Texto completo: PDF