Portal de Eventos do IFRS, 19ª Mostra de Ensino, Pesquisa e Extensão IFRS Campus Porto Alegre

Tamanho da fonte: 
Automação do controle de acesso e de patrimônio do laboratório MIGRA do IFRS campus Porto Alegre
Leonardo da Luz Silva, Guaraci Vargas Greff, André Peres, Silvia de Castro Bertagnolli

Última alteração: 19-09-2018

Resumo


O laboratório, denominado MIGRA (Maker, IA, Games e Robótica Educacional na Aprendizagem), tem como foco a articulação entre ensino, pesquisa e extensão, de modo a produzir inovação tecnológica no que diz respeito à área de informática na educação. O laboratório disponibiliza espaço para a experimentação prática de teorias e soluções tecnológicas vinculadas às atividades de ensino-aprendizagem. Uma das atividades propostas no presente trabalho é a automatização do acesso ao laboratório de modo que possa garantir um controle sobre a circulação de pessoas e equipamentos pertencentes ao projeto. Assim, o presente trabalho tem como foco desenvolver soluções que asseguram o controle de acesso de pessoas e dos equipamentos criando registros que podem ser utilizados pelos administradores do sistema. Os administradores serão informados, através de uma aplicação que pode ser acessada remotamente, sobre tentativas não autorizadas de acesso ao laboratório ou movimentação de bens de patrimônio. Para realizar a monitoração do acesso, serão utilizados sensores de presença, leitores biométricos e leitores de cartões RFID (Radio-Frequency IDentification) em conjunto com a plataforma de prototipagem eletrônica Arduino. O sensor de presença escolhido foi o PIR, que é um pequeno componente capaz de detectar níveis de irradiação infravermelha emitidas pelo corpo humano e será responsável para a leitura existente de movimentação dentro do laboratório.  Para o acesso ao laboratório, será instalado na porta um leitor biométrico em conjunto de um leitor RFID, garantindo que somente pessoas cadastradas no sistema poderão efetuar a entrada no laboratório. O RFID é um método de identificação automático através de sinais de rádio e armazenado em dispositivos como, por exemplo, cartões e chaveiros. O leitor biométrico realiza a captura de amostras das impressões digitais da pessoa a ser autorizada, extraindo os dados que possam ser futuramente utilizados para comparação e verificação da identidade desta pessoa. Os dados obtidos pelos sensores serão computados pelo Arduino e transferidos para um servidor, de modo que possam ser consultados de forma remota pelos administradores do sistema. Nesta primeira fase do projeto, foram realizados testes em cada um dos materiais que serão utilizados, tendo por finalidade uma melhor compreensão da forma de operação dos sensores de presença, dos leitores biométricos e dos dispositivos RFID. Os testes foram analisados e documentados para que possam ser utilizados nas próximas etapas do projeto e futuros trabalhos. O próximo passo é a criação de um protótipo para o controle de acesso e a instalação dos sensores de presença no laboratório.

Palavras-chave


Arduino; Controle de Acesso e Patrimônio; Automação.

É necessário inscrever-se na conferência para visualizar os documentos.