Portal de Eventos do IFRS, I Mostra de Ensino, Pesquisa e Extensão do Campus Avançado Veranópolis - I MEPE

Tamanho da fonte: 
O uso de sistemas aéreos remotamente pilotados para determinar a topografia de uma área de videiras
Eduardo Garcia Moreira, Rodrigo Otávio Câmara Monteiro

Última alteração: 16-11-2017

Resumo


A utilização de RPAS – Sistemas Aéreos Remotamente Tripulados - (sigla originaria
do inglês) para determinação da topografia de uma área de videiras, é um
experimento em que foram feitos sobrevoos aerofotogramétricos em uma área
especifica, tendo como motivação a experimentação de novas tecnologias,
destacando assim a importância da Agricultura de Precisão (AP). Objetivou-se
ganhar tempo e qualidade nos dados observados, assim como tornar menos
complexo os levantamentos topográficos, em campo, que dependendo do tamanho
da área, são muito morosos e extremamente técnicos. A área de estudo foi um
vinhedo experimental na vinícola Geisse, município de Pinto Bandeira – RS
(6775721.40 m S, 458535.96 m E). Foi utilizado um RPAS, tipo hexacoptero (seis
hélices), modelo Aibotix® do fabricante suíço Leica, embarcado com uma câmera
Nikon Coolpix A. Para o processamento dos dados colhidos, em campo, foi utilizado
o Software Pix4D, onde foi possível realizar o mosaico das fotos, transformando todo
o conjunto em uma única imagem, de onde se pode obter medidas de distancias
lineares e declives. A área estudada tem aproximadamente 4 hectares de parreiras
conduzidas no sistema de espaldeira, e foi dividida em 4 partes. A orientação que o
RPAS seguiu para percorrer a área foi definida através da programação de um plano
de voo, feita por um software específico da placa controladora do RPAS, onde são
inseridas as coordenadas dos vértices da área, e automaticamente é construído o
percurso a ser seguido (rumo). Antes do voo foi feita a inspeção do equipamento,
juntamente com medição da velocidade dos ventos, com auxílio de um anemômetro
portátil. A altura de voo foi fixada em 40 metros contados a partir do ponto de
decolagem, gerando no total cerca de 113 imagens. Cada foto foi analisada via
software e calibrada para que as feições geométricas fossem geradas através do
alinhamento de pontos notáveis identificados em cada fotografia. Como resultado
final, foi obtido um modelo tridimensional digital, do qual foi possível extrair os
mapas temáticos com as curvas de nível, elevações, e o ortomosaico da área, assim
como demais feições. Após a análise dos resultados, concluiu-se que é possível
utilizar o RPAS como ferramenta de mensuração, pois os resultados são rápidos e
fidedignos com a realidade.